VINILTREKS
LP / CD
 


O disco de vinil, conhecido simplesmente como vinil, ou ainda
Long Play (LP)
é uma mídia desenvolvida no início da década de 1950 para a reprodução musical,
que usava um material plástico chamado vinil.
 


Trata-se um disco de material plástico (normalmente cloreto de polivinila, ou PVC),
usualmente de cor preta, que registra informações de áudio,
as quais podem ser reproduzidas através de um toca-discos.
 


O disco de vinil possui micro-sulcos ou ranhuras em forma espiralada
 que conduzem a agulha do toca-discos da borda externa até o centro no sentido horário.
Trata-se de uma gravação analógica, mecânica.
Esses sulcos são microscópicos e fazem a agulha vibrar.
Essa vibração é transformada em sinal elétrico.
Este sinal elétrico é posteriormente amplificado
e transformado em som audível (música).
 


O vinil é um tipo de plástico muito delicado
e qualquer arranhão pode tornar-se uma falha, a comprometer a qualidade sonora.
Os discos precisam constantemente ser limpos e estar sempre livres de poeira,
devem ser guardados sempre na posição vertical
e dentro de sua capa e envelope de proteção
(conhecidas, vulgarmente, como capa de dentro e de fora).
A poeira é um dos piores inimigos do vinil,
pois funciona como um abrasivo, a danificar tanto o disco como a agulha.
 


Comparativamente um disco de vinil (LP) seria uma máquina de escrever
enquanto o compact disc (CD) seria um computador.
 O CD pode rodar no carro, tem audio digital, ocupa menos espaço
e é muito mais fácil de se encontrar.
Já o LP de vinil, mesmo sem estes atributos,
tem fatores importantíssimos, como o fato de serem hoje relíquias,
as capas são obras de arte (no cd elas ficam aniquiladas).
Quanto a durabilidade a comparação é ainda mais discutível.
 


De qualquer forma fica aberta a discussão,
ainda mais com o possível retorno ao mercado dos antigos Long Plays.
Veja abaixo algumas capas de LPs e CDs: